Este site tem certas restrições de navegação. Recomendamos o uso de navegadores web como: Edge, Chrome, Safari ou Firefox.

Aproveite para cuidar de você!

Carrinho de Compras

O seu carrinho está vazio

Continuar as Compras

NOVEMBRO AZUL – AGORA É A VEZ DELES!

Como já acontece todos os anos, o mês de novembro é integralmente dedicado para reforçar o alerta e a importância da conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção do câncer de próstata.

Dados sobre o câncer de próstata

Embora comum, por medo ou desconhecimento, muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto.  Por isso, a necessidade de desenvolver ações para estimular a realização do diagnóstico precoce, já que as taxas de incidência no Brasil vêm aumentando devido ao aumento da expectativa de vida.

Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima-se que para cada ano do biênio 2018/2019, sejam diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata e cerca de 15 mil mortes/ano devem ocorrer em decorrência da doença no Brasil, que geralmente ocorre em homens mais velhos.  Cerca de 6 em cada 10 casos são diagnosticados em homens com mais de 65 anos.

O câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O que é a próstata?

É uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

Sintomas:

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Na fase avançada, os sintomas são:

•dor óssea;
• dores ao urinar;
• vontade de urinar com frequência;

• fluxo urinário fraco ou interrompido;
• presença de sangue na urina e/ou no sêmen;

• incontinência urinária;

• disfunção erétil.

Fatores de risco:

• histórico familiar de câncer de próstata: pai, irmão e tio;
• raça: homens negros sofrem maior incidência deste tipo de câncer;
• obesidade.

Prevenção e tratamento:

A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

O preconceito

O câncer de próstata, quando descoberto em seus primeiros estágios, tem 90% de chance de cura. Entretanto, se diagnosticado de maneira tardia, isso diminui exponencialmente.

Para que a doença seja confirmada é necessário fazer o exame de toque, principalmente após os 40 anos, sendo que aos 50 a chance de contrair a doença é ainda maior. Aí mora um problema que vai muito além da questão de saúde e envolve a mentalidade, as crenças e os resíduos de uma criação feita em um mundo centrado no masculino.

Enquanto no Outubro Rosa o autoexame, as mamografias e todas as formas de diagnóstico são compartilhadas e revistas pelas mulheres, no caso dos homens há um tabu em torno do exame de toque, devido à maneira como é feito.

Por isso, muitos simplesmente se recusam a realizar o procedimento, impedindo um diagnóstico precoce. Como já mencionamos, essa atitude negligente reduz muito as chances de cura.

Um dos principais problemas aqui é a falta de informação. Diversos homens dizem que não irão fazer o exame porque não sentem nada. Entretanto, o câncer de próstata é silencioso e demora para apresentar os primeiros sintomas, que surgem só em um estágio mais preocupante.

Portanto, temos um cenário em que, por puro preconceito, muitos rapazes e senhores falecem vítimas da doença somente porque não quiseram fazer o exame quando deveriam.

Isso traz à tona um problema muito maior do que a doença em si. É preciso conscientizar. Deixar claro que o procedimento não envolve orientação sexual, dor ou piadas, mas sim uma questão crucial de saúde.

Diante disso, é primordial que as ações do Novembro Azul saiam do escopo do câncer em si, e atinjam amplamente o modo de pensar de todos os homens. É evidente a necessidade de reforçar que o exame de toque é muito importante para a vida de todos, e que a saúde deve ser priorizada sempre, independentemente de credo, orientação sexual, identidade de gênero e qualquer outro aspecto.